Espiritualidade e Responsabilidade

A palavra espiritualidade tem sido tão abstrata que poucos compreendem o que realmente significa. Muitos pensam que ser uma pessoa espiritual é repetir orações, tentando mudar o rumo daquilo a que chamam destino. Outros pensam em espíritos e outros ainda a confundem com momentos intrinsecamente pessoais, que levam à descoberta ou abertura de fenômenos interiores, enquanto meditam, oram ou contemplam.

Porém, espiritualidade é uma responsabilidade que nos transcende. É uma
atitude íntima que nos permite adquirir uma forma consciente de viver e que nada tem a ver com religião. Responsabilidade espiritual é a responsabilidade de cada um por si e pela Humanidade.

Desta maneira, o que mais observa-se ao redor são pessoas terceirizando a responsabilidade sobre sua própria vida e sua evolução. Não é porque vez ou outra acende uma vela ou faz uma oferenda para uma entidade que a sua vida irá mudar. Muito pelo contrário, enquanto não assumires a responsabilidade pela condução da sua jornada o mundo espiritual não terá muitas condições de lhe auxiliar. Gosto de fazer uma analogia aqui, imagine que estás preso em um poço profundo e pede ajuda para sair desta condição. Muitos esperam que um anjo com lindas asas venha voando, lhe pegue em seus braços e o levem para o paraíso. É aí que está o engano.

O mundo espiritual não lhe carregará nos braços.

A espiritualidade lhe jogará uma corda, irá lhe mostrar um caminho, dentro do seu merecimento e da Lei Divina, mas o entendimento, o aceite e a jornada dependem exclusivamente de você. É fácil encontrar textos falando que o pior dos demônios está dentro de nós mesmos, e apesar de ser um expressão tão batida e tão simples, seu entendimento não segue a mesma levada.

Enfrentar seus medos, sua ignorância, sua soberba e acima de tudo se despindo de preconceitos e dogmas que normalmente trazemos de nossa experiência terrena.

 

Anúncios

Porquê estamos aqui?

De fato, é possível para a Mente Divina emanar na matéria e assumir a forma material. A forma material é necessária para servir de base biológica para novos mundos de experiência. Abençoados somos nós que somos e conhecermos nossa imagem – pois a imagem Adâmica de vocês existia antes desta Criação com o Pai com quem nós temos semelhança, pois nós viemos a este mundo e vestimos este corpo carnal. Enoch disse que o Homem Adâmico foi criado nos Céus e simultaneamente transposto ao longo de malhas energéticas para a corporificação física a partir de uma forma divina, para a qual ele vai retomar após esta exploração consciencial. Nós estamos aqui como um experimento, explorando oportunidades para alcançar coisas ainda maiores que estão sendo testadas nos mundos materiais, de modo que as ligações entre os mundos Superiores e inferiores que foram moldadas pelo Ofício de Cristo possam se expandir, e para que ninguém que busque o Espírito de Deus se veja como um filho rebelde. No entanto, ao vir à Terra, cada alma Espiritual deixa para trás seu tesouro particular, sua parte do Tesouro de Luz Vivente, nos mundos Superiores – o qual aguardará seu retorno. Ao entrar na dimensão física, a energia dos elétrons de alta velocidade é gradualmente absorvida por “freios” eletrostáticos e eletromagnéticos de modo que o corpo em forma-pensamento transportado através da Luz de alta freqüência se desacelera o suficiente para interagir com os elétrons nas órbitas externas dos átomos. A entrada da Luminescência maior na luminescência comum abre os “Portais” nos reinos dos fenômenos biológicos de modo que as trevas possam contemplar “a Luz”. De agora em diante – com o ensinamento de Enoch e Metatron, não é problema pesquisar os estágios progressivos de ordem crescente para entidades maiores e mais complexas, e os degraus decrescentes da transformação energética que podem ocorrer à medida que as formas-pensamento penetram no substrato da Criação. Na conversão da Luz para a forma material, nosso mundo foi originalmente autorizado em Nome do Pai, mas foi interceptado pelos Mestres caídos que aplicaram sua lei de vibração a esta Criação. O Rei dos Reis e Senhor dos Senhores, que originou esta Criação de Seu Amor Superior – deu aos Senhores Elohim o privilégio de criar os limiares da inteligência avançada para a semente dos Elohim. Porém, alguns dos Senhores de Luz se rebelaram e procuraram não apenas condenar a Criação Adâmica à destruição, mas interferir nos modelos subseqüentes de outra humanidade Adâmica criada para este planeta. Só por meio do trabalho do Ofício de Cristo trabalhando por intermédio de Metatron e Melchizedek é que os “filhos de Luz” encarnados tiveram uma oportunidade de formar comunidades da “Luz Vivente”. Estas comunidades são dedicadas ao Pai e trabalham diretamente com as Legiões celestiais.

Ao lerem as Chaves, vocês não podem confundir a palavra “evolução” com o uso darwinista-Iamarckista deste termo. O termo “evolução” usado por Enoch significa o avanço do poder consciencial vencendo a limitação física e todos os estados conscientes que poderiam inibir a plena expressão do Amor de Deus em todos os reinos de inteligência. A verdadeira evolução é a “evolução Espiritual”, por meio da qual os veículos espirituais de vocês se desenvolvem rumo ao eu divino, em harmonia uns com os outros. A evolução Espiritual coordena a iluminação dos veículos conscienciais de vocês, dando um propósito sustentador à vida através dos frutos do Amor e da Sabedoria. Unicamente existindo a “evolução material”, não haveria necessidade que o Divino interviesse nos Universos físicos, e nenhuma necessidade do trabalho dos B’nai Or. A bioquímica dos mundos inferiores simplesmente serviria e atenderia a si mesma. Porém, há essa necessidade porque somos uma parte ativa da vida, não da “vida isolada” no sentido de uma autonomia estrutural, mas como um ser coletivo que está continuamente sendo manifestado dos Céus nos mundos planetários a fim de que as Árvores da Vida possam dar frutos diferentes dentro do Reino de Criação. De acordo com Enoch, nossas lembranças da Evolução Superior ou da evolução Espiritual estão ocultas de nosso conhecimento por um véu de Luz, e quando removermos este véu, os outros mundos de existência nos serão simultaneamente revelados pelo nosso Eu Superior. No entanto, a escolha de servir à Luz precisa ser feita em cada corporificação, em cada ciclo, em cada plano de Criação. Ao fazer a escolha, amados, entendam que o que lhes foi prometido no Reino de Deus será cumprido. Este é o testemunho que o Filho revelou quando disse aos que estavam ao seu redor que eles veriam o Reino sendo entregue a YHWH – nosso Pai! Verdadeiramente, o Espírito de Verdade está aqui; e Enoch e Metatron estão aqui para guiá-Ios a esta Verdade de modo que este mundo possa estar em sincronia com os tronos e domínios de YHWH quando o véu do tempo for removido! Que o Ancião de Dias em unidade com o Recente de Dias, prepare um local onde o Filho do Homem possa descansar a sua cabeça em unidade revelatória com os filhos e filhas da Noiva. Que o Ain Soph reúna as Luzes da Criação de todas as relatividades e atributos divinos. E que o cosmos da supernatureza seja revelado dentro do cosmos da natureza para o reino da Shekinah sobre a Terra. Possam as radiações de Luz penetrar em todos os véus e em todo tipo de limitação de modo que a energia brilhante dentro de nossa mente acorde para a totalidade de todos os mistérios. Guie-nos ao quebrarmos os vasos da forma e ajude-nos na execução da Divina Vontade e Sabedoria neste mundo de tal modo que Teus servos possam mostrar a toda humanidade sua inseparável unidade com a Família Divina. Possa o abençoado Hayavah (O Tetragrama) ser inscrito sobre nossas mentes internas de tal forma que O Uno que Se revela através dos Nomes Sagrados possa ativar nossas vidas de imperecibilidade e que nós possamos receber o privilégio de testemunhar A Legião vindo para caminhar carnalmente conosco. Caminhemos na Luz, Vocês e Eu, pois no final haverá muitos inícios – quando esta vestimenta de vida for oferecida ao alto e o Adam Kadmon vestir outra vestimenta de Luz. A palavra se fez carne de modo que cada Letra Vivente de Luz que atravessa este corpo consiga criar miríades de corpos de Luz. A oportunidade de caminhar como Enoch com O Altíssimo é agora estendida a todos os Povos! Hosannah!

A Importância do Perdão

O perdão é uma grande chave da alquimia, e pode-se dizer que sem perdão, não há transmutação ou autoaperfeiçoamento, elevação da alma. Não perdoar, cria uma camada de energia densa em torno do chakra do coração, que o torna “endurecido”. Esta energia causa bloqueios que impedem a pessoa de receber as oportunidades a que tem direito.
Louise Hay, em seu livro “Você pode curar a sua vida”, mostra que o “não perdoar” causa câncer, assim como qualquer pensamento ou sentimento negativo, afeta a saúde do indivíduo.

Quando uma pessoa não perdoa outra, por mais injusto que este ato tenha sido, ambas ficam ligadas por um cordão escuro de energia densa e viscosa. Isso naturalmente, impede a mudança de ciclos. Como evoluir? Como seguir em frente na vida, se existe uma “corda” amarrando-o à outra pessoa?

Assim vemos que o não-perdão é inimigo da evolução espiritual, da abastança e da prosperidade. É preciso desligar-se do outro e, assim, conquistar a própria liberdade e do outro também. Precisamos estar livres para um novo ciclo, dando um passo a mais na senda da autotranscendência.

Jesus deu um exemplo magnífico da capacidade de perdoar. O Dalai Lama, chefe do Budismo Tibetano, atingiu a capacidade de perdoar e amar os chineses, algozes do seu povo. Jesus disse: “…perdoar setenta vezes sete”. o que significa, perdoar até esquecer. Se ao lembrar de alguém, recorda-se do mal que ele lhe fez, é porque o perdão ainda não ocorreu. “Perdoai nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores”…
“Assim como nós perdoamos”, é exatamente da mesma forma
que o Pai nos perdoará. Se o indivíduo perdoa 50%, ele será perdoado em 50%. Se ele perdoa 20%, será perdoado em 20%, e se perdoa
100%, será perdoado em 100%. Nem sempre é fácil perdoar. Porém, reconhecendo a necessidade de se libertar de quem lhe fez ou faz algum mal, vale a pena tentar.

Compreenda que, perdoar não significa que precisará conviver,
ou ser amigo íntimo do outro. Perdoar, é ter compaixão pela alma daquele que agiu mal, compreendendo que aquele que erra, o faz, por ignorância da lei.

É importante meditar sobre o que é compaixão e o que é piedade, pois são coisas diferentes e comumente confundidas. Ter piedade do outro que age mal é compactuar com o erro.
A piedade é um sentimento negativo do seu eu inferior para o eu inferior do outro. A compaixão é um elevado sentimento de amor e compreensão do seu Eu Superior, para o Eu Superior do outro. A piedade é o ato de apiedar-se do ego do outro, fortalecendo e alimentando o erro. A compaixão eleva o Eu Real do outro, fortalecendo-o e mostrando que ele é capaz de superar suas fraquezas.

Autoperdão
Certas pessoas têm grande dificuldade em perdoar a si mesmas,
embora tenham capacidade e honestidade de reconhecer os próprios erros com facilidade. É muito bom reconhecer as falhas para aprender o ensinamento, evitando repetir o mesmo erro. Porém, aquele que não perdoa a si mesmo, como vai perdoar o outro? É importante
compreender e ver a Terra como uma grande plataforma de ensinamento, uma escola da vida, um playground, onde os filhos de Deus brincam e trabalham com a própria energia d’Ele, que é Ele mesmo, como uma experiência de desenvolvimento da alma. A criança na escola, não erra, ela está aprendendo. Ela não deve ficar entalada em sua culpa e lamentar porque cometeu um erro, mas sim analisar este erro, adquirindo mestria sobre o teste e, em seguida, passar para outro. A vida é difícil. Gautama Buda já dizia isso! Os problemas cotidianos são como as provas escolares. Os problemas
fazem parte da vida. Da mesma forma que um professor não dá um
teste sem solução na escola acadêmica.

“Os mestres da Grande Fraternidade Branca não dão testes aos filhos de Deus que não possam ser resolvidos. Em outras palavras, todos, todos os problemas têm solução.”

O autoperdão é um teste a ser superado, pois a culpa atrai
punição. “Como é possível alguém amar a um Deus, que ele não vê,
se não ama o próximo, a quem ele vê?” E quem amará o próximo se
não ama a si mesmo? A autocensura e a autocondenação endurecem
o coração impedindo o fluir da essência do amor no âmago do ser.

Exercícios de perdão

Exercício 1: Escreva uma carta à pessoa a quem deseja perdoar, colocando ali tudo que você sentiu e sofreu com a atitude dela. Diga-lhe que a perdoa. Assine a carta, faça umas orações
que podem ser três Pai Nossos, e três Ave-Marias. Depois disso,
queime a carta.

Exercício 2: Faça uma autoanálise e identifique qual o sentimento negativo que se aloja em seu coração, como resultado da ofensa ou maldade que o atingiu no passado. Pode ser
mágoa, ressentimento, retaliação ou vingança, ódio, tristeza, senso de injustiça. Ou talvez outro sentimento negativo. Após ter identificado um ou mais sentimentos, você terá uma chave para dissolver a dureza em seu coração e anular os bloqueios que advêm disso. Lembre-se sempre: é preciso ser específico, informando a Deus ou aos mestres os maus sentimentos dos quais deseja se libertar. Você poderá entregar esta energia ao amado Saint Germain, que o ajudará a libertar-se. A lei do livre-arbítrio impede o mestre de agir
sem que você peça.

Para obter bons resultados, este exercício deve ser feito diariamente, até se sentir totalmente “livre” da energia que o incomoda.

Invocação: Em nome do meu Santo Cristo Pessoal, invoco
o amado Saint Germain e peço que me ajude a consumir no mais
profundo do meu coração. Que a poderosa chama violeta transmute
todos estes sentimentos em amor e compaixão.

Mantra da Era de Aquário:
“EU SOU um ser de Fogo Violeta!
EU SOU a pureza que Deus deseja!” – (33x)
(Mantra extraído do livro de Decretos da Summit Lighthouse do Brasil)

Exercício 3: Visualize o número oito. Na parte superior, coloque a pessoa a quem deseja perdoar. Na parte inferior, coloque a si mesmo e visualize seu Eu Real, no encontro das linhas. Em seguida faça o decreto do Perdão, sempre se mantendo e ao outro, dentro do desenho do número oito e o Eu Real , no encontro
das linhas. Repita trinta e três vezes, diariamente, ou quantas desejar,
até sentir que já está terminando o trabalho e sentir que perdoou.
Enquanto recita este mantra do perdão, sinta a transmutadora
chama violeta percorrendo o desenho do número oito; de você para o Eu Real, seguindo do Eu Real para a pessoa, e voltando a você, continuamente. No começo não é fácil, o desenho do oito fica torto.
Porém, vai se aperfeiçoando com a prática. O número oito simboliza
o Infinito, sem Princípio e sem Fim.

Exercício 4: Este é um exercício de autoperdão. Escreva uma carta a Deus pedindo perdão por todos os seus erros praticados no presente e no passado. Assine a carta. Faça o decreto do perdão trinta e seis vezes, diariamente, até sentir alívio ou sentir que não precisa mais fazer.

Decreto do Perdão
“EU SOU o Perdão aqui atuando,
Dúvidas e medos expulsando,
Com asas de cósmica Vitória
Os homens para sempre libertando.
Com pleno poder invoco agora
O Perdão a toda hora;
Toda vida sem exceção
Envolvo com a Graça do Perdão.”

(Decreto extraído do livreto Decretos de Coração, Cabeça e Mão da Summit Lighthouse do Brasil)

O decreto do perdão é do sétimo raio. Este decreto libera a
chama violeta para libertar a alma.

Queime a carta após os decretos, no primeiro dia. Pode optar por outra oração a seu gosto, como por exemplo, a bela afirmação extraída do “Livro de Ouro de Saint Germain”, publicado pela Ponte da Liberdade, no Brasil:

EU SOU a Poderosa Chama Consumidora que, agora e para
sempre, consome todos os erros passados e presentes, suas causas e
efeitos e toda a criação indesejável pela qual meu ser exterior é
responsável”.

Enquanto pronuncia esta afirmação, mantenha a atenção centrada
na chama de Deus, a centelha divina ancorada no seu coração.

**Eu Real é o mesmo que Eu Superior e Santo Cristo Pessoal.

Aqui uma prática que me auxilia muito:

Lei do Perdão:

Sexo, Permuta de energia entre casais

(Energia Sexual)
Você sabia que a energia sexual é a mais intensa de todas?
Como a energia sexual afeta sua vida ?
Você já deve ter ouvido falar que há troca de energia durante um relacionamento sexual, mas como esta troca é feita e como isso pode afetar o modo como você enxerga as coisas à sua volta?
Por exemplo, se você tem relação com alguém que está IRRITADO , MAL HUMORADO, EM CRISE DE DEPRESSÃO , parte desta carga é transferida para você , levando-lhe a viver com um peso, sem saber muitas vezes de onde vem. Sempre que corpos se unem num beijo, num abraço ou até num simples toque, ocorre uma troca de energias. Se a união é sensual, num beijo ou num ato sexual, a liberação energético-informativa hormonal que ocorre, estimula todas as células do corpo e torna a transferência energética muito mais intensa. A relação sexual é uma troca íntima de fluidos vitais, hormônios e energia sutil. O clímax, no orgasmo, é o ápice na formação de um vínculo energético entre os parceiros. Cria-se, então, uma memória energética celular comum, um evento que liga permanentemente os dois parceiros. Dessa forma, como dentro da experiência sexual há uma troca química, hormonal e energética profunda, se o ato sexual é efetuado com pessoas fora de sintonia com a nossa frequência pessoal, todo o “lixo” daquela pessoa virá para desarmonizar a nossa vibração e quando vamos estabelecendo relação sexual com mais e mais parceiros esse mesmo LIXO vai sendo perpassado aos demais tambem. Através do sexo entramos em contato com esta energia “puxando” parte desta informação para a gente, como se estivéssemos puxando parte dos problemas desta pessoa. Se você então tiver transado com alguém problemático por exemplo, você fica contaminado com estes problemas de
certa forma. É como uma teia de informações, que se espalham do outro para você e que você vai levando adiante , perpassando a medida que vai se envolvendo sexualmente com outros. Bem, quando você puxa para você informações, que não são suas, isso pode atrapalhar sua caminhada ( e de quem se envolver com você conseguinte ) levando mais tempo para limpar tudo isso, ou melhor, resolver…Tudo é energia não se esqueça! O outro e nós somos na verdade um só, viemos da mesma fonte. A questão é que estamos em momentos diferentes, e quando você transa com alguém mais “atrasado” neste aspecto que você, então você ” dá um passo para trás” em sua jornada espiritual. Seria mais do que inteligente de nossa parte escolher com cuidado nossos parceiros. O estado emocional que tivermos na hora da relação será o que iremos implantar em nossos companheiros (as). Antes de nos envolvermos com alguém, devemos ponderar amorosamente o que isso vai gerar na outra pessoa e em nós mesmos! Que tipo de energia irá trocar com a(s) outra(s) pessoa(s)?

Lembre-se : A energia sexual é uma das mais poderosas do Universo!

Tipos de Relações Conjugais na Terra

Com relação à Terra e seus habitantes, podemos citar, apenas para fins didáticos, certos tipos de relacionamento nos quais predomina algum dos fatores que unem os casais.

EXPIAÇÃO – esse é o tipo mais frequente de união conjugal na Terra. Como vivemos num planeta que ainda se caracteriza pelas provas e expiações, é natural que a maioria dos relacionamentos conjugais tenha expressivo conteúdo expiatório. Muitas vezes é no casamento que antigos desafetos se reencontram para a tentativa de reconciliação pela convivência no lar. Por isso a vigilância, a paciência e o perdão tornam-se fundamentais para que se obtenha êxito na experiência a dois. A atração sexual, geralmente intensa no início, funciona como estímulo para que haja a aproximação e o encontro entre as duas pessoas. As próprias dívidas cármicas recíprocas ainda não saldadas funcionam como ímã de atração entre os seres, para que se harmonizem perante a Lei.

PROVAÇÃO – muitas vezes os espíritos necessitam exercitar virtudes que ainda não possuem em plenitude e, para tanto, aceitam reencarnar em parcerias que se lhes constituirão desafios. Pode-se, por exemplo, escolher alguém com características muito diversas das suas a fim de desenvolver aceitação e paciência, bem como as qualidades que são manifestas no(a) parceiro(a). Em muitos relacionamentos a longa convivência com alguém de qualidades diferentes é um estímulo à ampliação da compreensão e à ausência de julgamentos. Em diversos casos se é constrangido a superar preconceitos e condicionamentos para sustentar uma união, o que desenvolve diversas qualidades latentes na alma.

MISSÃO – seres espiritualmente maduros, com a consciência desperta e elevada, escolhem ou aceitam a convivência conjugal como instrumento para poderem cumprir juntos missão relevante em prol do bem comum. Nesses relacionamentos a abnegação e o altruísmo estão acima de interesses e preferências pessoais. No caso de haver procriação, esta ocorre como um serviço espiritual, permitindo a reencarnação de seres necessitados de corpos físicos, e não como fruto de desejos inferiores.

AFINIDADE – obviamente sempre existem afinidades para que um casal se una. Independentemente da maturidade espiritual que se possua, sempre se poderá encontrar outros seres com identidade de gostos e pendores. A afinidade pode se dar em vários níveis, dos mais inferiores aos mais elevados: a atração sexual, a sintonia emocional, a identidade de ideias e de ideais, até a sintonia espiritual, que é a mais profunda e duradoura. A atração física, embora possa ser o fator mais intenso de aproximação inicial, é o mais efêmero e menos significativo, em longo prazo, para a proposta evolutiva dos parceiros. É importante que o casal reconheça as afinidades positivas, procurando cultivá-las, bem como identifique as conexões negativas – como os vícios, por exemplo – empenhando-se para superá-las.

O que é Projeção Astral?

A Projeção Astral também conhecida como Viajem astral, saída do corpo, experiência extra-corpórea, projeção da consciência, sonho lúcido entre outros termos, é um fenômeno natural, que ocorre SEMPRE quando dormimos.

A diferença de Projeção Astral para o Sonho, é o nível de consciência; ou seja, quando sonhamos estamos sem consciência de nossos atos, e quando estamos tendo uma projeção astral estamos consciêntes de nossas ações, podendo enxergar nosso próprio corpo dormindo, atravessar paredes e volitar , se tele-transportar para qualquer local do universo, e até mesmo nos encontrar com todo o tipo de seres (dos mais iluminados, aos mais trevosos), mais a frente escreverei sobre isto.

Eu mesma na primeira experiência fora do corpo (Lúcida), vi meu corpo dormindo, e via meu braço “do espírito” com uma cor mais clara que o corpo físico, pude ver o quarto todo, levantei, e fui até a porta, eu podia ouvir minha avó conversar no quarto ao lado, eu tentei chama-la mas ela não me ouvia. Logo retornei ao corpo.

A sensação de ter saído do corpo foi tão intensa, me preenchi com um sentimento de paz, de leveza, de amor, de algo que não tenho como expressãr por palavras, e mais do que tudo, tive a certeza de que estamos aqui nesta dimensão por algo muito maior, tive a certeza de que eu meu corpo habita um espírito imortal, e pude compreender melhor aquela frase bem conhecida que diz : “Somos a imagem e semelhança de Deus”.

É claro, porque não compreendi isso antes? Se milhares de anos essas mensagens permanecem intactas, sobre Deus, e sobre sermos irmãos, sim!! Naqueles poucos minutos de experiência tive insights, esclarecimentos de todas aquelas palavras, que estão sempre tentando nos mostrar que somos imortais, como Deus, e que de alguma maneira carregamos em nós um poder imenso e natural do espírito, e que seguindo os preceitos de amor, paz, podemos nos aproximar cada vez mais da VERDADE, do sentido maior de nosso SER , de acessar esses planos, acessar nosso inconsciente (pois nós agimos inconscientemente no astral sem saber o que fazemos lá).